Liebster Award!

fui indicada pela bela Paula Baltor do http://www.paulabaltormakeup.blogspot.com.br
Pra fazer o Liebster Award Tag
Vou explica rapidinho como funciona. a Paulinha me escolheu e deixou 11 perguntas pra que eu responda. aí, eu tenho que responder e fazer a mesma coisa: faço 11 perguntas e escolho outras 11 blogueiras pra respondê-las!
Vamos começar!!!

1- Por que decidiu se expor na internet?

Eu Quis começar um blog pra poder escrever diariamente as coisas que aconteciam comigo, sejam boas ou ruins. é legal porque além de ter sua vida gravada pra poder relembrar momentos bons, você acaba conhecendo muita gente legal e que se parece com você e gostar das mesmas coisas.

2- Você sofre algum tipo de discriminação por conta disso?

Tem umas pessoas conhecidas minhas que acabam tirando sarro ou não sabem direito o que é blogar, mas não me importo muito não. afinal, fiz o blog primeiramente pra mim, então, se eu estou feliz, ta tudo certo!

3- Qual blogueira te inspira e por que?

tenho o meu top 3 blogueiras que me inspiram desde o começo até hoje. elas são:
1. a diva brasileira Camila Coelho do http://www.supervaidosa.com
2. a linda Zoe Sugg do http://www.zoella.co.uk
3. a Bethany Mota: o canal dela é o http://www.youtube.com/macbarbie07

4- Gosta mais de salto, sapatilha ou tenis? Por que?

eu AMO tênis! são práticos e tem uns modelos que são lindos de morrer! além de serem super confortáveis e pra quem anda muito a pé ou fica o dia todo em pé, é o melhor amigo!

5- Como você se vê daqui 5 anos?
FELIZ!

6- Qual sua maior qualidade e seu maior defeito?
minha maior qualidade é também meu maior defeito! eu falo demais! Estou tentando melhorar! Ai… Eu provavelmente não devia ter falado isso, mas já foi….. rsrsrs

7- Complete “Você sente vergonha alheia quando…”?
vejo alguém usando legging fina demais! oh no!

8- Qual é o assunto que gosta de abordar no seu blog ou canal?

eu gosto de falar sobre auto-estima e superaçao porque é algo que vivo a cada dia e vejo muitas garotas lindas e inteligentes que não sabem o quanto são especiais. então, se eu ajudar nem que seja uma garota a se sentir bem em relação a si mesmo, vale a pena!

9- O que não pode faltar em uma maquiagem de parar o trânsito?

uma pele saudável. e isso se conquista com uma alimentaçao saudável e muita água – se não tive isso pode usar a melhor base do mundo que não vai ficar legal!!…

10- Você tem algum tipo de medo?

tem medo de parar de melhorar… então, estou sempre em movimento!

11- E por ultimo, o que vc acha do “Blog Paula Baltor Make Up”? Se tornaria leitora?
paulinha
Olha, eu acho a Paulinha super fofa e me identifico muito com ela! e a gente se conheceu de um jeito bem “acidental”! Leio o blog sempre desde então!

agora lá vão as minhas perguntas pras próximas blogueiras!

1.qual a sua banda favorita?
2. sua música favorita?
3. sua estação do ano favorita?
4. o que te motivou a fazer seu canal/blog?
5. vc tem algum hobby? qual?
6. qual o seu maior medo e o que você faz pra superá-lo?
7. Descreve o seu dia perfeito!
8. você tem algum sonho? qual?
9. qual seu doce favorito?
10. quais sao seus blogs favoritos?! deixe os links também!!
11. o que vc acha do Portal da Gata? tem alguma sugestão pra melhorar?!?

e as minhas escolhidas pra responder a TAG!
1. Carolaine Moreira do http://www.carolaine-moreira.blogspot.com
2. Thainá Santos do http://www.blogdosdetalhes.com
3. Amanda Terres do http://www.coisinhasdaamandinha.blogspot.com
4. Lana Dominique do http://www.lanadominique.com
5. Priscilla Mirando do http://www.realidadefeminina.com
6. Lavinnya Aguiar do http://www.lovesmake.wordpress.com
7. Raquel Sena do http://www.coisasenoivas.com
8. Nathália Ferreira: http://natiferreira12.blogspot.com.br/
9. Júlia anjos: http://www.garotaemreforma.com
10. Karen Alves: http://vidadeumacacheada.blogspot.com.br/
11. Mayumi Nakahashi: http://www.remendodesonhos.blogspot.com

Cabeça Fora do Lugar? ou lugar fora da Cabeça?

Quando nós não estamos felizes com alguma coisa, consequentemente, nada, ou quase nada nos parece bom o bastante, e é exatamente nesse momento que devemos parar e refletir sobre o que está realmente fora do lugar: o mundo ou apenas sua cabeça.

Devido á quantidade de coisas que fazemos no dia-a-dia, pode parecer que nunca vamos conseguir terminar tudo, ou nem mesmo chegar á metade.

Parece que os deveres e afazeres estão nos engolindo, como se fossem areias-movediças, e mal temos tempo para nossas próprias necessidades. Ficamos pilhados de coisas, pegando tudo para nós mesmos, querendo resolver tudo. Mas não podemos. Somos de carne, ossos e nervos que precisam ser recarregados e precisam de uma pausa para poderem se regenerar. O que acontece quando não damos esse tempinho a nós mesmos é a doença do século: o ESTRESS. Mas ela não é inevitável. Ela pode sim ser evitada ou pelo menos diminuída com algumas ações, que além de garantir saúde, garantem também
mais diversão, alegria, disposição. Por que afinal de contas, a vida é pra ser vivida, e bem vivida.

Coisas simples podem melhorar e até mesmo mudar o seu ritmo frenético de vida, tornando-a agradável e saudável. Veja algumas dicas:

Uma caminhada, ou uma corrida matinal;
Café da manhã em casa com seu amor;
Não abrir mão de um bom banho relaxante;
Uma sessão de massagem semanal;
Levar o cachorro para passear;
Pelo menos uma vez por semana, sair sem as crianças;
Fazer compras PARA VOCÊ;
Ficar até mais tarde na cama;
Ler aquele romance bobo e meloso;
Ver programas que via na infância;
Chorar;
Cozinhar seu prato preferido;
Dançar em frente ao espelho ou em uma festa mesmo;
Ir ao cinema á tarde, quando é menos cheio;
Ficar um dia inteiro em casa e na cama com seu amor, SEM ARRUMAR A CASA.
Falar besteiras e fofocas com sua melhor amiga por uma hora;
Fazer e refazer as unhas para escolher o melhor esmalte;
Revisar o armário e aproveitar para doar algo que não use mais para alguém que precisa;
São pequenas dicas que ajudam a manter a cabeça no lugar em meio ao caos que é o mundo de hoje, que está num ritmo muito acelerado. Lembre-se de que ninguém pode abraçar tudo e que você também é filho de Deus e pode e deve “gastar” um pouco do seu tempo fazendo o que mais gosta, ou fazendo simplesmente nada.

Sem Título | Daliti

Sem Título
Sou só eu ou tem mais alguém que em alguma altura da vida fica meio esquisita??
Ah, não sei, parece que nada dá certo.
Não.
Na verdade, não é quando nada dá certo, é quando
TUDO DÀ ERRADO…

Às vezes eu penso que ser eu mesma não é suficiente.
Amiga, linda, responsável, madura, proativa, compreensiva, paciente, meiga, talentosa, inteligente, atenciosa, estudiosa, carinhosa, verdadeira, delicada, flexível, esforçada, arrumada, perfumada, bem vestida, escovada, maquiada e….. imperfeita…

Então eu penso que é melhor ficar quieta e esperar o tempo passar um pouco.
È melhor ficar sem voz por um momento, sem expressão,
como forma de proteção até que você tenha uma boa explicação pra convencer você mesmo de que
não mudou e que continua vivendo…. imperfeita.
Por que por mais que eu me esforce, nunca vou conseguir tudo o que quero na hora em que preciso…
Posso até conseguir, mas será em um momento no qual eu não stiver esperando, por que o mundo é assim…
Imperfeito…
Como eu….
Enquanto o tempo não passa, eu fico assim….
Quieta…
Sem título.

Um Conto: Quando o Amor não Acontece | Daliti

Esse texto escrito por mim, saiu da minha cabeça e não faz referência á ninguém. Qualquer semelhança é mera coincidência!

Ju era aquela menina que não tinha tempo pra besteira. não tinha tempo de encher a cara. não tinha tempo pra gastar em mil sapatos. não tinha tempo pra namorar. aliás, o amor, na sua opinião já era em si uma perda de tempo; pra que ficar tentando ficar com alguém, tentando fazer dar certo, se sozinha não tinha que tentar nada? afinal, se ela estivesse com ela mesmo, não ia precisar discutir sobre qual filme assistir, sobre qual restaurante ir, sobre onde passar as férias, qual lado da cama era o seu: a cama inteira era dela. Entretanto, sua mãe sempre dizia: “O amor acontece quando a gente menos espera! Na situação mais improvável. Você vai ver!”
Ju era estudante do terceiro ano do curso de física e planejava se especializar logo quando terminar a faculdade. seu tempo era dividido entre dormir e estudar. mas ela precisava comer. ah! comeria enquanto estudava.
apressada, andando pelos corredores da faculdade, ela estava nervosa, pois a biblioteca fecharia em 10 minutos. Ju tinha uns livros pra entregar! e ela não iria pagar os dois reais de multa por atraso no outro dia. onde já se viu? DOIS reais.
quando percebeu que não estava rápido o suficiente apenas caminhando, despontou um cooper cruzando salas vazias e blocos que, naquela altura, pareciam sem fim.
quantos quilômetros até a biblioteca?
começou a correr como se o prêmio final fosse o direito de continuar vivendo!
enfim, avistou a biblioteca. aparentemente ainda aberta. “que mundo é esse no qual os horários não valem mais nada?”, pensou. olhou pro relógio. 22:27. bom, estavam no horário. ainda faltavam 3 minutos pra fechar. mas Ju duvidava que conseguiriam fechar tudo e apagar as luzes em três minutos. ao passar pela porta de vidro, viu de relance seu reflexo antes de passar pela cortina de vento. ao entrar no ambiente fresco, sentiu o calor da corrida esquentando suas bochechas. “devo estar linda.” com os livros nas mãos, andou calmamente até o balcão tentando acalmar a respiração acelerada. parou, e colocando os livros sobre a bancada, levou as mãos aos cabelos tentando parecer menos como uma louca e mais como uma estudante aplicada. pegou o celular pra ver seu reflexo e avaliar sua tentativa. “sem êxito!”
guardou o celular e levantou os olhos, procurando alguém. foi aí que olhou ao seu redor e não viu ninguém. normal, para uma sexta as dez e meia da noite. “Tem alguém aí?”, disse. “já vai!”, teve em resposta. Ju estranhou aquela voz mais grossa saindo dos fundos da biblioteca. logo, um rapaz alto, moreno e bonitão (!!) saiu dos corredores e caminhou apressadamente da forma mais elegante que Ju já havia visto. ela começou a sentir uns movimentos estranhos em seu estômago. borboletas. as mãos começaram a suar. sua boca secou. havia encontrado O cara? seria isso amor? coração acelerou novamente. havia encontrado algo pra colocar ao lado dos tópicos dormir e estudar: namorar. não estava entendendo nada, mas no fundo do seu coração ela sabia. eles estavam destinados um para o outro. Não era que sua mães estava certa mesmo? o amor estava acontecendo. da maneira mais inusitada! qual eram as chances de se encontrarem ali naquela hora, naquele local, só os dois. Era pra acontecer. quando ele se posicionou atrás do balcão, um sorriso charmoso e amigável surgiu dos lábios do rapaz com a camisa sensualmente amassada e mais aberta que o necessário. “Mas que moço lindo!” Ju pensou e logo notou que estava sorrindo sem perceber. “oi!” Quando percebeu, seu cérebro já tinha falado por ela. olhou para seu crachá. que conveniente! “Lucas”, ela leu em sua mente. “oi.” ele respondeu. silêncio. ” Se não devolver os livros antes da meia noite, vou ter que cobrar dois reais.” ele quebrou o gelo piscando graciosamente. Ju até achou ter visto faíscas saindo dos olhos dele. “Ju, para de ser besta.”, pensou. “Ah sim. Aqui estão.” entregou os livros para o rapaz. Suas mãos se tocaram. e ficou ali parada. Silêncio.
“você precisa de mais alguma coisa?” ” o que?” ” quer mais alguma coisa?” “ah.. não. não. já estou indo.” se virou e começou a andar em direção á porta.
“mmm. Julia….” “Ele sabe seu nome! ele já me conhece, me admira há muito tempo e decidiu que não havia hora melhor pra revelar tudo! é perfeito!” Ju se virou com um olhar radiante. já havia visto em filmes e séries momentos assim. era pra ser! era agora.
“Você esqueceu seu cartão.” Ju olhou para as mãos do rapaz e viu seu id da faculdade. ” ah! claro. me desculpe!” Ela foi até ele pegou seu cartão e continuou a caminhar. nada de faíscas, nada de declaração. Nada de romance. nada de nada. “Ué….” ao sair da biblioteca, Ju, inconformada com a reviravolta de sua história de amor, resolver dar mais uma olhada para “o cara perfeito”. Quando se virou, o viu sussurrar alguma coisa para os corredores. alguns segundos depois, uma loira com os cabelos bagunçados e batom espalhado além dos lábios saiu detrás das prateleiras.
Ju sentiu suas sobrancelhas caírem sobre os olhos, junto com um suspiro profundo e magoado. olhou para baixo, e pegou seu celular que havia vibrado. era uma mensagem de sua companheira de quarto. “levei um pé na bunda. quero sair.” na mesma hora Ju respondeu. “não haveria hora melhor! te encontro no lugar de sempre.”
é. pelo que parece, o amor não aconteceu pra muita gente naquela noite.