Ser ou não ser: Você!

esses dias parei pra pensar – nunca paro, mas dessa vez, consegui um tempinho. fiquei de férias por uns vinte dias. quando a gente pára e tem um tempo pra respirar, muita coisa que parecia não ter importância vem á tona. eu fiquei tanto tempo preocupada com trabalho e contas e dinheiro e família que me esqueci de mim. eu tava tão abarrotada de compromissos que não enxergava minhas próprias necessidades. claro, todo mundo tem seus compromissos e deveres. Entretanto, não podemos deixar que eles sufoquem nossa essência.
Foi durante esse “brake” que percebi quanta coisa deixei de fazer por mim pra ocupar com outras, pra outros. entende? tanto tempo e energia gastos em qualquer outra ocupação que não meu bem-estar. e vamos combinar que bem-estar é o passo 1 pra viver. já imaginou viver sempre pressionada, estressada, cheia de coisas pra fazer, fazendo tanta coisa, enchendo as horas do dia pra fazer coisas que não te dão nenhum tipo de prazer??
não estou dizendo que devemos largar tudo e viver de paz e amor – o que não seria nada mal! – mas não dá.
não sei se estou me fazendo entender, mas o que quero dizer é que devemos encontrar um respiro no meio das correrias para fazer o que nos dá prazer.
e na loucura do dia-a-dia, ás vezes passa desapercebido essa “menina interior” nos pedindo cinco minutos para ouvir sua música favorita. Porque é muito fácil fazer com que ela se cale. ela é compreensiva e paciente, esperando seu momento, que quase nunca vem. aí, os dias vão passando e a gente vai percebendo um desconforto, lá no fundo, em algum lugar estranho. eu devo estar comendo mal. devo estar precisando de sono. tenho que comer um doce. preciso fazer sexo com mais frequência. vou tomar um drink pra me sentir melhor. preciso ir á igreja.
tudo isso passa pela cabeça da gente quando o desconforto aparece. e na verdade é muito mais simples. o desconforto vem de uma parte de nós mesmas que ficou apertadinha entre a fatura do cartão e a nossa luta contra o atraso.
a chave é sempre a auto-análise – é assim que escreve? – , porque se você se conhece, sabe o espaço que cabe a sua essência. o tempo que ela precisa, que você precisa pra continuar sendo você. é como se você comprasse um sapato dois números menor que o seu. o sapato é aberta na frente e atrás. quem olha mal percebe que seu pé está um pouquinho pra fora. e no começo da noite, nem você percebe. mas depois de algumas horas, amiga, vai doer! e você vai achar que é qualquer coisa, menos o sapato, afinal, ele ficou tão lindo em você.
tantas metáforas pra falar uma única coisa: guarde um tempo pra ser você! que seja cinco minutos por dia, ou uma hora, ou um dia, ou um fim de semana, se você puder. reserve aquele momento em que você está com você.
fez tão bem pra mim, que as pessoas notaram a diferença. e olha que não falei pra ninguém! sem perceber, comecei a sorrir mais, a me achar mais bonita, a querer me cuidar mais! voltei a trabalhar e fazer tudo que fazia antes. mas agora sei que tenho o direito – e mais: o dever – de reservar um período do dia só pra mim!

tudo o que deve ser feito pra melhorar o que você já é, só vai vir quando estiver bem com quem é agora!

Um Grande beijo!!!!

Daliti.

Anúncios

2 comentários sobre “Ser ou não ser: Você!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s